Temas católicos, Liturgia diária, Salmos, Santos do dia, Mandamentos...

13/02 – Santa Catarina de Ricci

santa-catarina-de-ricciSanta Catarina de Ricci

A Santa de hoje pertencia a nobre família Ricci da Itália, onde nasceu em 1522. Quando pequena Santa Catarina de Ricci fez uma experiência com irmãs religiosa, mas com o passar do tempo saiu e voltou para casa sem perder a disciplina e o desejo da vida consagrada. Tanto que Catarina pôde, mas não quis casar-se , escolhendo assim a vida totalmente entregue a Deus num convento Dominicano.
No convento Catarina buscou viveu a pura alegria, o sofrimento, humildade e desejo profundo de imitar Santa Catarina de Sena. O seu modelo de espiritualidade era pautado por Jesus Crucificado, o qual contemplava de tal forma sua paixão e morte que Catarina alcançou a graça de comungar misticamente com seu sofrimentos.
Os dons místicos de Santa Catarina em nada era motivo de orgulho e sua vida comunitária era tão encarnada no carisma que chegou a ser no convento mestra de noviços e depois por quase quarenta e dois anos superiora. Mulher santa , equilibrada e de espírito engenhoso, Santa Catarina de Ricci era amiga de Santos homens, e fecunda escritora que recomendava o domínio de si , a luta e a mortificação dos sentidos para se abrir a graça da alegria e paz.
Santa Catarina de Ricci recomendava a devoção à sagrada paixão e morte de Cristo ,também a docilidade ao Espírito Santo para se chegar ao total abandono aos braços do Pai e sua Vontade. Morreu em 1590 e no céu esta a interceder por todos nós.

12/02 – Santa Eulália

santa-eulaliaSanta Eulália

Lembramos neste dia a santidade de Eulália virgem e mártir. Viveu em Barcelona no fim do século III numa família que a educou para o bem e para a fé em Jesus Cristo.

Quando pequena Eulália gostava da companhia das amigas cristãs , e por outro lado fugia do pecado e era inimiga da vaidade. Aconteceu que possuía apenas 14 anos quando chegou à Espanha a perseguição contra os cristãos por parte do terrível Diocleciano; Eulália soube dos fatos e desejou alegremente o martírio, para assim glorificar e estar com o Cristo.
Os pais religiosos resolveram viajar a fim de esconderem-se juntamente com a menina, mas Santa Eulália fugiu e foi parar diante do governador que escutou daquela jovem e bela moças duras verdades quanto a ignorância da perseguição aos cristãos. De início o governador admirado pela ousadia da Santa a entregou para que apostatasse da fé, ou seja, que adorasse aos deuses, mas sua resposta foi: ” Eu sou Eulália, serva do meu Senhor Jesus Cristo, o Rei dos Reis e Senhor de todos os dominadores “.

Diante da fé e coragem da jovem Eulália o governador mandou os algozes queimarem o seu corpo com ferros em brasa, e sua oração durante o sofrimentos era esta: “Agora, ó Jesus, vejo no meu corpo os traços de vossa sagrada paixão “. O final de tudo foi no próprio fogo onde Santa Eulália foi consumida pelas chamas, mas tudo isto por que Eulália já estava toda consumida pelo Amor de Deus, que a levou para o céu.

11/02 – Nossa Senhora de Lourdes

nossa-senhora-de-lourdesNossa Senhora de Lourdes

Neste dia lembramos de Nossa Senhora que ocupada em ajudar os seus filhos na conversão e santificação aparece em Lourdes, França. Sabemos que Maria é aquela que primeiro que todos está preparando todo o povo para a segunda vinda de Jesus.
A aparição de Maria aconteceu em 1858 numa úmida e fria tarde que representava bem a situação da época nem que o racionalismo e outros males estava estragando e esfriando a fé do povo. A agraciada com a visita de Nossa Senhora foi a frágil , humilde e menina Bernandete, que procurando gravetos para o lar ficou atraída por uma luz que saía de uma gruta, onde estava uma linda mulher de branco, com faixa azul , terço na mão, que a convidava a rezar.
As aparições se repetiram nos dias seguintes, e a mensagem de Nossa Senhora de Lourdes consistia no chamado a conversão, oração do terço e principalmente confirmação do Dogma da Imaculada Conceição, que apenas quatro anos atrás tinha sido declarado pela Igreja. Desde então milhões de peregrinos têm visitado o Santuário que é marco do amor da Mãe que vem nos ajudar, e nele alcançado por intercessão de Nossa Senhora de Lourdes muitas graças.

09/02 – Apolônia e São Miguel Febres

apoloniaApolônia

Esta santa foi muito popular na idade média como padroeira dos dentes, ou melhor, contra as dores de dente e conseqüentimente dos dentistas. O que se sabe de certo sobre Apolônia é o que escreveu numa carta o bispo de Alexandria, Dionísio.

Nos últimos anos de governo do imperador Felipe,o árabe (244-249), pessoalmente favorável aos cristãos, houve uma revolta popular na cidade de Alexandria, no Egito, contra os cristãos, açulada por um adivinho. O massacre que se seguiu durante a revolta ceifou muitas vidas de cristãos. No seu furor, os pagãos não pouparam nem os mais fracos. Então escreveu o bispo: “Todos se lançaram sobre as casas dos cristãos. Cada um entra na casa daqueles que conhece na sua vizinhança. Saqueia e devasta, levando embora, nas dobras dos vestidos, todos os objetos preciosos, lançam por terra ou queimam as coisas sem valor. Dirse-ia uma cidade tomada e saqueada pelo inimigo… Os pagãos, depois, tomaram a admirável virgem Apolônia, já avançada em idade, golpearam as suas mandíbulas e lhe arrancaram os dentes. Depois, tendo aceso o fogo de uma pira fora da cidade, ameaçaram atirá-la nela viva, se não pronunciasse juntamente com eles palavras ímpias. Ela pediu para ser deixada livre um instante. Foi atendida e saltou rapidamente no fogo e foi consumida”. O episódio teria acontecido na ano 249.

Apolônia deve ter nascido no princípio do século III ou nos últimos anos do século II, porque o texto de Dionísio afirma que já era avançada em anos quando aconteceu o fato. A sua vida tinha sido irrepreensível, digna de toda admiração. A sua conduta exemplar deve ter suscitado a ira dos pagãos. O fato de ela ter-se atirado no fogo não causou admiração nas palavras do seu bispo, mas o assunto foi muito discutido em tempos posteriores. O fato deve ter causado admiração não só nos pagãos mas também nos cristãos. O culto de Sta. Apolônia, como protetora dos dentes, foi muito difundido.

sao-miguel-febresSão Miguel Febres

O Santo que lembramos neste dia tinha o nome de Batismo Francisco. Nasceu em Cuenca, Equador em 1854 em uma família muito religiosa que soube a colhê-lo com sua forte deformação nos pés, que em nada impediu Francisco de batalhar pela sua vocação, embora seus amados pais apresentassem barreiras.
Educado no santo temor de Deus e amor a Maria, Francisco que tinha grande tendência para os estudos entrou-se com os professores e religiosos Lassalistas onde Francisco submeteu não só os estudos mas também sua vida. Ao tornar-se Irmão recebeu o nome de Miguel e a ele honrou com sua vida de simplicidade e serviço, embora ótimo professor ,chegou a lecionar, escrever muito, e fazer parte da Academia Equatoriana de Letras.
Santo e Irmão Miguel vivia com fidelidade a via da infância espiritual, por isso conseguiu ser fiel no pouco do dar aulas, até o muitos de ter que ficar firme na direção do Colégio La Salle em Quito com seus 1200 alunos. No tempo muito difícil, isto quando aconteceu a revolução anticlerical no Equador com a expulsão de religioso e profanação de Igrejas. São Miguel Febres por obediência foi para a Europa a fim de lecionar línguas, assim como entrou no céu em 1910.
As últimas palavras do Santo : “Jesus , José e Maria , vos dou meu coração a minha alma”.

08/02 – Santa Josephine Bakhita e São Jerônimo Emiliano

santa-josephine-bakhitaSanta Josephine Bakhita

Nascida em uma família de Sudanese saudável, quando tinha 9 anos de idade ela foi seqüestrada por escravo-comerciantes, e determinado o nome Bakhita por eles. Vendido e revendeu nos mercados a El Obeid e Khartoum, finalmente comprados em 1883 por Callisto Legnani, cônsul italiano que planejou a livrar. Ela acompanhou Legnani para a Itália em 1885, e trabalhou para a família de Augusto Michieli como babá. Ela foi tratada bem na Itália, e cresceu para amar o país. Um adulto à converte, e ela vai à Igreja em 9 de janeiro de 1890, ela levou o nome de Josephine como um símbolo da vida nova dela. Ela entrou no Instituto de Filhas de Canossian de Caridade em Veneza, Itália em 1893, ocupando os votos dela 8 1896 de dezembro em Verona, e servindo como uma Irmã de Canossian durante os próximos cinqüenta anos. A presença gentil dela, a voz morna, amável dela, e a vontade dela para ajudar com qualquer tarefa servil eram um conforto para as pessoas pobres e sofredoras que vinham à porta do Instituto. Ela morreu no dia 8 de fevereiro de 1947 de causas naturais na Itália, em 17 de maio de 1992 foi beatificada pelo Papa João Paulo II, e em 1 de Outubro de 2000 foi canonizada pelo Papa João Paulo II.

sao-jeronimo-emilianoSão Jerônimo Emiliano

(presb.)

Pertencente à família rica o santo de hoje nasceu em 1486 e logo foi direcionado para a carreira militar. Aconteceu que ao comandar um grupo na batalha com a Liga de Cambrai, Jerônimo Emiliano foi preso, e na prisão encontrou na escuridão, dor e solidão a presença de Deus e da Virgem Maria, sob o título de Nossa Senhora da Saúde, devido a devoção familiar.

Desta experiência de conversão nasceu o novo Jerônimo, pois ao ser libertado voltou para sua terra com o firme propósito de santidade, sendo assim aprofundou na oração, reflexão e penitência ao ponto de encontrar a vocação ao Sacerdócio. São Jerônimo inclinou-se com seu coração caridoso para com os pobres e jovens, por isso diante das carestia e epidemia que assolava seu povo, heroicamente Jerônimo vendeu tudo o que possuía para ajudar os indigentes.

A fé de Jerônimo operava constantemente pela caridade e assim atingia também órfãos e viúvas em vários lugares, além do coração de outros homens de alma grande que deram origem a Sociedade dos Padres Somascos. Segundo o testemunho dos seus amigos , São Jerônimo que tanto lutava pelo resgate e restauração dos rapazes e moças, sofria para manter a obra , porém era tão dependente da Divina Providência que era permanente a sua alegria e sorriso.

07/02 – Maria da Providência Smet

maria-da-providencia-smetMaria da Providência Smet

(confs.)
Nascida em 25-3-1825, em Lille (França), em uma família de Burguesia flamenga, era a terceira dentre 6 filhos e foi batizada no mesmo dia do nascimento, recebendo o nome de Eugênia Maria Josefina. Com 10 anos recebeu a primeira comunhão e entrou no colégio das Irmãs do S. Coração, onde ficou 7 anos. Depois de um retiro espiritual, decidiu dedicar-se totalmente a Deus, mas os seus parentes e o próprio diretor de consciência lhe aconcelharam a diferir a resolução de entrar na vida religiosa.

Inicialmente fez o voto de virgindade, mesmo continuando no seio da família. Em 1ª-11-1853 teve a inspiração de fundar uma associação, cujo membros se empenhariam em sufragar as almas do purgatório. No mesmo dia, à tarde, começou a sua sociedade como irmandade leiga ou associação religiosa com 4 pessoas. Eugênia pediu então a Deus 5 sinais da sua vontade, entre os quais a difusão da associação fundada, a sua aprovação por Pio IX e o encontro com um sacerdote que ainda não conhecia, que estivesse disposto a dar início com ela a uma nova comunidade. Não-satisfeita, interrogou também o cura d´Ars, que lhe dise: “Fundarás a ordem para as almas do purgatório”. Em 1856 foi para Paris, onde um Vigário tinha começado uma comunidade com a mesma finalidade. Eugênia foi colocada na chefia da pequena comunidade. Os inícios foram defíceis. Somente a bondade e a perseverança de Eugênia puderam tranformar aquelas senhoras de caráter diverso e de saúde precária em verdadeiras religiosas, cheias de espírito de sacrifício. Em 27-12-1856 a fundadora e as primeiras 5 companheiras emitiram pela primeira vez os votos religiosos e um 4ª assim concebido: “Orar, sofrer e agir pelas almas do purgatório “. Os últimos anos da fundadora, que adotara o nome de Maria da Providência, foi cheios de sofrimento, aceito com generosidade. A sua agonia se prolongou por longos meses. Morreu em 7 de fevereiro de 1871.

06/02 – São Paulo Miki e companheiros Mártires

sao-paulo-miki-e-companheiros-martiresSão Paulo Miki e companheiros Mártires

(mártires)

São Paulo Miki que celebramos hoje, juntamente com os companheiros máritires, nasceu em Kioto (Japão) no século XVI, era de nobre família que lhe proporcionou o batismo quando pequeno. Depois de catequista São Paulo Miki caminhou para o Sacerdócio dentro da Companhia de Jesus com o carismas bem definido missionário do Reino de Deus, a semelhança do Cristo Sacerdote e missionário São Paulo Miki conhecia profundamente a língua, cultura e costumes budistas de forma que pôde na ousadia do Espírito Santo anunciar e salvar almas com Jesus nos diversos ambientes, já que era um grande pregador e pastor.
Aconteceu que ferozmente começou a perseguição dos cristãos no Japão, por isso Paulo foi preso em Osaka e levado com companheiros para sofrerem em Nagasaki humilhações até o martírio; tendo dentre eles os meninos : Luís(11 anos), Antônio(13 anos) e Tomás (14anos).

Depois da presença de São Francisco Xavier, rapidamente o Japão chegou a 300.000 fiéis, e agora era a hora dos 26 santos de hoje regarem com o sangue as tantas sementes lançadas a trinta anos atrás. Sendo assim São Paulo Miki preso com os irmãos, posicionou-se como missionário japonês e declarou: “Não há outro outro Caminho de salvação fora daquele que os cristãos seguem”.

São Paulo Miki com seus companheiros corajosos e com ar de alegria aceitaram o supremo testemunho do sangue em 1595, pois todos morreram crucificados em 1595.

05/02 – Santa Águeda

santa-aguedaSanta Águeda

(virgem)

Águeda é uma das santas mais populares da Itália e uma das 3 famosas santas virgens da ilha da Sicília, ao lado de Sta. Luzia e de Sta. Rosália, patronas, respectivamente, das cidades de Catânia, Siracusa e Palermo. O martírio de Águeda se deu no dia 5 de fevereiro de 251, durante a perseguição de Décio. Infeslimente os autos de sua paixão só foram redigidos depois de 200 anos da sua morte, mais parecem conter elementos históricos que foram amalgamados com lendas.

Águeda, cujo nome é de origem grega e significa ótima, era natural da cidade de Catânia, na Sicília, e pertencia a uma antiga e nobre família. Ainda muito jovem faz voto de virgindade, consagrando-se inteiramente ao serviço de Deus. Quando saiu o edito de Décio contra os cristõas, um certo Quinciano, sabendo que a jovem era cristã, conseguiu a ordem de prendê-la e confiá-la a uma mulher de má reputação para corrompê-la. Águeda não se deixou vencer, alcançando forças na oração para resistir. Quinciano, vendo que esta tentativa era inútil, fê-la comparecer perante o tribunal. “De que condição sois?”, pergunta o juiz. “sou livre e nobre de nascimento”.

“Se és livre e nobre, por que levas vida de escrava?” “Eu sou serva de Cristo e por Cristo sou de condição servil”. “Se fosses livre e nobre não te humilharias até tomar o título de escrava”. “A suprema nobreza consiste em ser escravos de Cristo”. São frases tiradas dos autos do seu interrogatórios. foi novamente perante o juiz. O magistrado decidiu torturá-la. Foi estendida sobre o cavalete e flagelada. Num ímpeto de fúria o juiz ordenou arrancar-lhe os seios. “Cruel tirano, exclamou, não te envergonhas de mutilar assim uma mulher naquilo que tu menino sugaste?” Novamente torturada, finalmente entregou o espírito a Deus.

Santa Águeda é representada com um prato na mão no qual estão os seus seios. É invocada principalmente contra as periódicas erupções do Etna, o Vulcão que se ergue perto da cidade de Catânia.

04/02 – Santa Joana de Valois e São João de Brito

santa-joana-de-valoisSanta Joana de Valois

Filha do rei Luís XI, da França, e de Carlota de Sabóia, nasceu em 1464, para grande desilusão do pai, que queria um homem. Com 26 dias de vida foi prometida em casamento ao primo Luís de Orléans, de 2 anos. Feia e coxa, com 5 anos foi fechada num castelo, onde o seu maior prazer era conversar com Nossa Senhora. Apesar da oposição da mãe de Luís de Orléans, o rei impôs o casamento, que foi celebrado em 1476, quando ela tinha apenas 12 anos, Foi um casamento político. O marido não quis consumar o casamento nem com ela conviveu.

Em 1498, Luís de Orléans torna-se o rei Luís XII e deseja livrar-se do vínculo matrimonial que era um peso para ele desde os 22 anos, para poder casar-se com a viúva de seu antecessor Carlos VIII. Foi feito o processo canônico para a declaração de nulidade do seu casamento, contra o qual ela protestou inutilmente, porque o casamento foi declarado nulo, e ela, então, agradeceu a Deus por isso. Nesse mesmo ano tornou-se a duquesa de Berry, ingressando na cidade de Bourges, onde iniciou uma vida de mortificações corporais e de generosidade sem limites, administrando o seu ducado com sabedoria, fazendo reinar a justiça. A peste que apareceu nos anos de 1499 e 1500 lhe permitiu mostrar a grande dimensão de sua caridade e coragem. Ocupou-se em aumentar os salários dos operários, coisa rara para a época. Mas a grande obra de sua vida foi a fundação da Ordem da Anunciação, sob a regra franciscana das clarissas. O seu ex-marido, ora rei, aprovou a obra de “sua caríssima e amantíssima prima Joana de França, duquesa de Berry”, em 1503, tomando o convento sob a sua prateção. Ela mesmo fez a sua profissão a título privado, permanecendo no mundo fiel ao seu soberano. Atacada de grave doença em 22 de janeiro de 1505, fez murar a porta de comunicação que tinha com o mundo. Perdeu a fala em 2 de fevereiro e morreu dois dias depois. Sobre o seu túmulo florescem os milagres, atestando a virtude e santidade da disforme e coxa filha do rei Luís XI de França.

sao-joao-de-britoSão João de Brito

O Santo deste dia , São João de Brito, nasceu em Lisboa em 1647 e era filho de Salvador de Brito Pereira, que chegou a ser governador do nosso Rio de Janeiro. De nobre família, João fisicamente era desde pequeno muito doente, porém isto não impediu que o jovem aplicado aos estudos e inteligente conseguisse corresponder ao chamado de Deus ao Sacerdócio.
São João de Brito entrou na Companhia de Jesus ;estudou em Coimbra e só terminou sua formação nas missões da Índia . O Santo de hoje foi sempre muito penitente, tanto assim que vestia roupas pobres, dormia no chão; e já depois de Ordenado sacerdote ,São João suportava o inchaço dos pés nas longas caminhadas.
São João de Brito era alegre, educado e pobre ; carregava consigo apenas a Bíblia, breviário e um livro de evangelização. Desta maneira partia com santidade para anunciar Evangelho de maneira encarnada na realidade e língua do povo hindu , e muitas vezes era perseguido e até torturado.
Certa vez São João viajou para Portugal a fim de tratar das missões da Índia e quando voltou encontrou igrejas queimadas, casas de cristãos saqueadas, tudo isto devido uma rebelião de religiosos hindus que não queriam saber do Deus verdadeiro.
Por conseqüência da sede pela salvação das almas São João Brito, em 1693 foi preso, levado para uma colina , onde depois de rezar se entregou sorridentes nas mãos dos loucos , cruéis que cortaram sua cabeça, mutilaram suas mãos e pés e colocaram o corpo do mártir num poste como alimento para aves.

03/02 – São Brás

sao-brasSão Brás
(bispo)

Neste dia lembramos a vida santa de Brás, venerado tanto no Oriente como no Ocidente e muito conhecido pelo testemunho e sua proteção das doenças da garganta. São Brás nasceu na Armênia no século III , foi médico e bispo em Sebaste. Como profissional na medicina usava dos seus conhecimentos médicos para resgatar a saúde do corpo, mas também a da alma, pois se ocupava de evangelizar os pacientes. No tempo de Brás aconteceu uma forte perseguição religiosa, por isto como Santo bispo procurou exortar seus fiéis à firmeza da fé. Por sua vez, o santo de hoje, que era testemunho de segurança em Deus, retirou-se para um lugar solitário a fim de continuar governando aquela Igreja, porém ao ser descoberto por soldados disse: “Sede benditos, vós me trazeis uma boa-nova: que Jesus Cristo quer que o meu corpo seja imolado como hóstia de louvor”.

São Brás é conhecido como protetor da garganta, justamente porque ao se dirigir para o martírio lhe foi apresentado uma mãe desesperada com seu filho que estava sufocado por uma espinha de peixe entalada na garganta, diante desta situação o Santo em Deus curou milagrosamente a criança. Já processado e condenado, São Brás enfrentou muitas torturas sem trair a fé em Jesus, até mesmo a de arrancarem com dentes de ferro pedaços de sua carne até ser degolado em 316.